Adriano Galdino tenta tirar o seu da reta e deixa colegas deputados pendurados na brocha

Adriano Galdino fez circular através de sua assessoria a informação de que não fez uso da verba indenizatória de R$ 40 mil, o que deixou seus colegas de Assembleia literalmente pendurados na brocha.

Após a péssima repercussão do aumento dado nos recursos para pagamento de aluguel se imóvel, automóvel, telefone, internet, combustível, TV a cabo, etc, etc, etc, dos deputados, o presidente da Assembleia tenta tirar o seu da reta divulgando que manteve seus gastos no limite anterior, que era de R$ 25 mil. Como nenhum/a outro/a deputado/a se manifestou, supõe-se que os/as outros/as 35 fez uso dos R$ 40 mil.

A atitude de Adriano Galdino deixa o cheiro de oportunismo no ar. Mas, a posição do presidente da Assembleia não se sustenta por dois motivos. O primeiro é formal.

Como estabelece o art. 18, inciso X, do Regimento Interno da Assembleia, é atribuição privativa da Mesa Diretora fazer proposições dispondo sobre “sua organização, funcionamento, polícia e serviços administrativos, regime jurídico do pessoal, criação, transformação ou extinção de cargos, empregos e funções e fixação da respectiva remuneração“.

É óbvio que não se está aqui afirmando que os deputados que não fazem parte da Mesa da ALPB nada têm a ver com o aumento e apenas cuidaram de gastar os R$ 15 mil a mais de aumento nas verbas indenizatórias.

Todos sem nenhuma exceção aprovaram e, pior, se calaram diante de um aumento de gastos que transfere para o Estado o financiamento de atividades parlamentares, isso sem que o eleitorado conheça a fundo as justificativas e necessidade desse gasto. Isso porque tudo é decidido sem nenhum debate mais aprofundado, nem entre os deputados nem com a sociedade civil.

Tudo agravado, claro, pela circunstância de uma grave e inédita crise, que combina aumento do gasto público, sobretudo com saúde, com uma queda brutal de arrecadação dos governos em todas as esferas.

O segundo motivo que torna a postura de Adriano Galdino insustentável a tentativa de se diferenciar dos/as colegas deputados/as porque não gastou o que poderia de gastado é político. Adriano Galdino está na confortável posição de presidente da Assembleia, o que lhe permite o controle de uma estrutura administrativa gigantesca, que inclui o exército de blogueiros que está na folha do poder legislativo. Se isso fosse pouco, Galdino administra um orçamento anual de mais de R$ 300 milhões!

Fica fácil desse jeito fazer firula com o eleitorado, às custas da imagem dos outros colegas deputados.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: