Morador do Conde denuncia orquestração contra Márcia Lucena

O vereador Malba de Jacumã, pau mandado do ex-prefeito do Conde, Aluizio Régis, invadiu a farmácia da Secretaria da Saúde do município sob o argumento de que existiam medicamentos vencidos no local.

Com ele estavam o construtor Márcio Simões e o proprietário do blog A voz do Conde, “Irmão” Ailton, e outras pessoas. Nem a Guarda Municipal nem a Polícia Militar que foram chamadas ao local se esforçaram em retirar o grupo invasor.

Pouco depois, o delegado da cidade chegou à farmácia do município com uma ordem expedida pelo justiça, a pedido do Ministério Público, de busca e apreensão dos medicamentos.

No início da noite, após inspeção no local onde os medicamentos ficaram retidos, o delegado informou que não encontrou nada de irregular e foi embora.

Depois desse carnaval, tudo vai ficar por isso mesmo.

Áudio de Marcos de Jacumã

Morador do Conde denuncia orquestração contra Márcia Lucena

Marcos de Jacumã, como é conhecido, é conselheiro do Orçamento Democrático do Conde, essa experiência de democracia participativa que querem acabar na Paraíba porque insere o povo nas decisões sobre o gasto público.

Depois do que aconteceu hoje na Secretaria de Saúde de sua cidade, Marcos parece que perdeu a paciência. Ele fez circular pelos grupos de whatsapp um áudio cujo teor desmascara o que ele chama de “orquestração” contra a administração do Conde.

Pela clareza como expõe seus argumentos, é uma peça antológica que, não fosse as menções ao Conde, poderia servir para mostrar ao povo da Paraíba o que acontece hoje em toda a Paraíba depois da Operação Calvário.

 Veja como Marcos começa o seu áudio.

“Eu sou morador do Conde e estou acompanhando essa nova orquestração, essa nova tentativa de agredir a reputação e o bom trabalho da prefeita do Conde, Márcia Lucena.”

Usando do bom senso que se exige de alguém que representa e defende os interesses de sua comunidade, Marcos fala do factóide que é tentar transformar em escândalo um fato corriqueiro em farmácias públicas do Brasil, e nas mesmo privadas, que é a existência de medicamentos vencidos, já separados para a devida incineração, que deve ser feita seguindo protocolos sanitários e ambientais.

Ele esclarece, em primeiro lugar, que é mentira a informação de “que há medicamento contra a Covid vencido e que iria ser incinerado”, como foi divulgado; segundo, que a existência de medicamento vencidos ocorre simplesmente “porque não existe procedimento para distribuir medicamentos como se fossem alimentos, só para que não percam o prazo de validade”.

Uma obviedade que só a maneira tacanha como determinados grupos familiares não consegue enxergar, ou se enxerga, não está interessado na verdade.

“Coronelismo jurídico

Para Marcos, a prefeitura do Conde tem uma administração exemplar, que atende satisfatoriamente aos moradores do Conde. Por isso, ele faz um apelo dramático para que deixem a prefeita e sua equipe trabalharem em paz. Marcos sabe onde começa a orquestração que denuncia: “Infelizmente, o coronelismo jurídico local, a serviço do fascismo bolsonarista, tenta atrapalhar (a administração municipal) em prejuízo de nós moradores. 

Ele cita expressamente o Ministério Público, que chegou ao pedir uma liminar, e foi atendido pela juíza da Comarca local, para impedir o funcionamento das barreiras sanitárias criadas pela prefeitura do Conde para proteger a população do município do contágio.

“Nós não votamos em promotor e nem em juiz. Votamos numa prefeita que se chama Márcia Lucena, e pedimos, exigimos que a respeitem, que nos respeitem, porque somos nós que estamos sendo desrespeitados.”

Lava Jato paraibana

Para Marcos, como não conseguem contestar a correção das medidas adotadas até agora pela administração do Conde no enfrentamento da pandemia de coronavírus, e como também não conseguem apontar erros na atual gestão, para ele, a melhor da história do município, resta apenas essas “orquestrações”.

A lava Jato paraibana [Operação Calvário] que só vai em cima das pessoas progressistas, que têm feito e tentado fazer pelo povo do estado e do município. 

Marcos por fim aponta os agentes locais desse esforço de desestabilização da administração de Márcia Lucena, desesperados porque a “população não segue a loucura genocida de Bolsonaro de desrespeitar as medidas de isolamento social”.

“O blog que está veiculando isso é um blog a serviço dos Lundgreen, do coronelismo e da extrema-direita fascista local, do município e da Paraíba”. 

Mais Marcos, mais povo, menos oligarquias

Os esforços dos membros da família Lundgreen, que se achava dona do Conde e do seu povo até a professora Márcia Lucena desbancar seu mandonismo, “têm o objetivo de atrapalhar, tirar a energia e dispersar forças no momento em que todas essas forças são necessárias para proteger e cuida da população e das demandas surgidas depois da pandemia.”

Poucos administradores públicos na Paraíba podem contar com um depoimento em favor do seu trabalho como esse, de um munícipe tão envolvido com os problemas da sua cidade e que se mostra tão bem informado sobre o que realmente está em jogo para os destinos dela. Ele sabe bem onde está o passado. E o futuro. 

Eis uma pequena amostra de que é inútil o esforço das oligarquias paraibanas de tentar fazer a roda do tempo girar para trás. O mundo mudou, e as pessoas também.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: