Gutemberg Cardoso denuncia corrupção na Justiça paraibana: os advogados “sabem por quanto compram”

O radialista Gutemberg Cardoso fez uma corajosa e grave denúncia durante o programa em que apresenta, ao lado dos jornalistas Clilson Jr. e Luís Torres, na rádio Arapuã.

A motivação de Cardoso foi a sucessão indireta de Bayeux após a renúncia do ex-prefeito Berg Lima, que tem gerado um fato inusitado entre os aguerridos jornalistas da nossa imprensa: uma divisão entre os defensores do prefeito temporário, o biônico Jefferson Kita, do Cidadania, e os apoiadores do grupo liderado por Berg Lima.

Gutemberg Cardoso claramente pertence ao segundo grupo.

Pois bem, Gutemberg Cardoso começou sua denúncia sugerindo ao presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Márcio Murilo, que preste atenção ao que acontece hoje em Bayeux:

“Ê, Márcio Murilo, você é presidente da Justiça, bote sua lupa para Bayeux. A cada plantão dizem que tem uma ‘negociação’, que sai um resultado. O problema é que fica amufanbado, segredo de justiça sem ser segredo. E a gente vai perdendo o crédito na Justiça. E a gente vai perdendo o crédito nas decisões porque há sempre um ‘jeitinho‘.”

“Jeitinho”?

Obviamente, considerando o contexto, a acepção que Gutemberg Cardoso emprega ao termo “jeitinho” é aquela que o associa, segundo a Wikipédia, à malandragem, desonestidade e amoralidade. Veja se eu não tenho razão prestando atenção no dia o radialista:

Aqui na Paraíba esse jeitinho é muito latente. Os advogados são as cartas marcadas. Eles sabem quem vai para o plantão, sabem por quanto compram, e sabem o resultado antecipadamente. Ah, Justiça para quem tem dinheiro! Ah, Justiça para quem tem influência! Justiça não é para todos!

Apesar de não citar nomes, juízes plantonistas que tomaram decisões sobre o caso de Bayeux estão agora todos/as sob suspeita de venderem decisões. E os advogados, também, todos suspeitos de corrupção ativa.

E, convenhamos, não se trata de uma denúncia qualquer.

Primeiro, porque parte de um radialista que, imagina-se, dispõe, senão de provas materiais, pelo menos de indícios suficientemente fortes para levá-lo a torná-la pública, faznedo isso durante um dos programas de maior audiência do radio-jornalismo político da Paraíba.

Segundo, porque lança suspeitas em um momento grave para o Judiciário brasileiro, já metido até o pescoço em acusações de parcialidade e desprezo às leis por parte de muitos dos seus juízes.

O desafio que Gutemberg Cardoso fez ao desembargador e atual presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Márcio Murilo, deve ser levado a serio e ser invetsigados seriamente.

Do contrário, serei obrigado a dar razão a Gutemberg Cardoso de que Justiça na Paraíba é “para quem tem dinheiro

Abaixo, áudio da deúncia.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: