QUEM DIRIA? Secretaria de Cultura e Funesc viraram um “clube do Bolinha”

Desde 2011, as mulheres nunca foram minoria nos cargos dirigentes dos órgãos que comandam a política cultural do estado da Paraíba (Secult e Funesc).

Em 2020, tudo mudou, e não foi porque as mulheres perderam sua competência. O que aconteceu para a Secult e a Funesc ter sido transformada em um clube do Bolinha, onde, pelo visto, se depender do governador, mulher não entra.

Veja:

2011
SECULT: Chico César – Amazile Vieira
FUNESC: Lu Maia – Willian Tejo

2013
SECULT Chico César – Amazile Vieira
FUNESC: Lau Siqueira – Lu Maia

2015
SECULT: Lau Siqueira – Fernanda Norat
FUNESC: Márcia Lucena – Nézia Gomes

2019
SECULT: Damião Ramos – Milton Dornellas
FUNESC: Nézia Gomes – Raisa Agra

2020
SECULT: Damião Ramos – Milton Dornellas
FUNESC: Walter Galvão – Pedro Santos

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: