Vale a pena Inácio Falcão ter Ana Cláudia Vital como vice em Campina Grande?

A decadência política da família Vital do Rego só não é tão patente porque os arranjos políticos salvaram a carreira dos seus membros mais proeminentes.

Vital do Rego Filho se salvou quando assegurou, ainda quando Dilma Rousseff era presidente, e com o apoio de Eduardo Cunha e Michel Temer, uma vagas para o Tribunal de Contas da União. Em 2014, mostrou seu tamanho de nanico na política paraibana quando obteve apenas 5,22% (dos votos válidos) na eleição para governador.

Já o irmão de Vitalzinho, Veneziano Vital do Rego, teve a sorte de ser um dos ungidos por Ricardo Coutinho em 2018, depois de um mandato desastroso como deputado federal, e se eleger, sem muito esforço, para um mandato de Senador. Como João Azevedo, Veneziano foi outro que não pensou duas vezes em enfiar a adaga da traição nas costas do ex-governador.

Aliás, a canalhice política de João Azevedo é tão grande que o governador anda hoje abraçado, em vários municípios, com quem foi seu adversário em 2018, e não apenas no caso de João Pessoa.

Além de apoiar Roberto Paulino em Guarabira, que foi candidato a Senador na chapa de José Maranhão na eleição passada, e cujo filho, Ranieri, era, há bem pouco tempo, o líder da oposição na Assembleia, o governador anunciou apoio ao candidato do MDB de Bananeiras, Matheus Bezerra, negando com isso apoio ao atual prefeito Douglas Lucena, que pediu votos para Azevedo na última eleição. O tio de Douglas, Henrique Lucena, chamou a atitude de João Azevedo de “filhadaputice“.

Voltemos à outra face da traição, Veneziano Vital do Rego. A decadência do ex-prefeito de Campina Grande em seu principal colégio eleitoral não pode ser encoberta nem pelo cavalo que Ricardo Coutinho selou para ele em 2018. Em 2016, por exemplo, Veneziano foi candidato a prefeito e tomou uma surra desmoralizante de votos, quando não chegou sequer a 25% dos votos da cidade.

E não é só isso. Em 2018, sofreu nova derrota na Rainha da Borborema, obtendo ainda menos votos (21%), mesmo com o eleitor podendo votar em dois candidatos.

Não é por outro motivo que os Vital do Rego já pensam em retirar a candidatura de Ana Cláudia Vital à Prefeitura de Campina Grande. A intenção será evitar novo vexame eleitoral e manter a aura de liderança política, mesmo que os resultados eleitorais do clã em Campina Grande mostrem o contrário.

A dúvida é saber ser vale a pena Inácio Falcão receber esse apoio no primeiro turno e incorporar esse desgaste à sua candidatura, o que significaria apostar no risco de a eleição ser decidida já em primeiro turno.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: