PSB não quer nem ouvir falar de palanque duplo para Lula. Em Pernambuco

A manobra para retirar a candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco do caminho da família Campos dessa vez parece que não vai ter êxito. Em 2018, favorita nas pesquisas, como hoje, Marília foi obrigada a retirar sua candidatura para impulsionar a candidatura de Fernando Haddad, que recebeu o apoio do PSB de Pernambuco.

Agora, Marília não parece mais disposta a aceitar o arranjo feito entre o senador Humberto Costa (PT-PE) e o governador Paulo Câmara (PSB-PE) que pretendia impedir sua candidatura ao governo para apoiar Danilo Cabral, do PSB, que mostra dificuldades em crescer nas pesquisas. A família Campos governa Pernambuco desde 2007.

Marília Arraes reagiu anunciando a saída do PT e deixando claro que não está mais disposta a ver sua cabeça oferecida numa baixela de prata à família Campos. Em reunião com o ex-presidente Lula na última segunda (22/03), a neta de Miguel Arraes confirmou tanto sua candidatura como a manutenção do apoio ao petista. Sem ter como pedir-lhe novo sacrifício, Lula foi obrigado a aceitar subir tanto do palanque de Arraes como de Danilo Cabral em Pernambuco.

O problema é que, diferente do que disse o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, no ato de filiação de João Azevedo ao partido, quando defendeu palanque duplo para Lula na Paraíba, em Pernambuco a conversa é outra. Segundo matéria publicada hoje pelo Jornal do Comércio, não há veto à candidatura de Marília Arraes ao Senado, mas o PSB de Pernambuco não admite palanque duplo por lá.

“O PSB de Pernambuco não vai admitir palanque duplo para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aqui no Estado. O posicionamento, inclusive, já foi levado para as instâncias do PT local e nacional.”

A fonte do PSB de Pernambuco chegou ao ponto de ameaçar com o rompimento da aliança nacional do partido, caso Marília Arraes saia do PT para se candidatar ao governo, como se Lula disse dono dos destinos da deputada federal.

Caso ela decida realmente sair do partido e se candidatar a governadora, o movimento é visto como um rompimento definitivo com o líder petista

Como Marília Arraes não pretende abandonar mais uma vez a candidatura, vai ser estranho aqui na Paraíba justificar que o PSB nacional rompeu com Lula exatamente por que não aceitou palanque duplo em Pernambuco.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: