Professores: Veneziano critica João Azevedo por lentidão e falta de diálogo

O pré-candidato a governador da Paraíba da coligação MDB-PT, Veneziano Vital, criticou em suas redes sociais o governador João Azevedo por não dar prioridade à educação e pelos seguidos atos de desrespeito com as/os professoras/es da rede pública estadual de ensino.

Veneziano Vital lamentou que João Azevedo tenha lembrado de cumprir suas promessas a seis meses de terminar seu governo e às vésperas da eleição. “A marca do atual governo é a lentidão, aliada à falta de diálogo”. O senador lembrou ainda de um fato estarrecedor: “a lentidão do atual governo é tamanha” que os professores começaram a ter acesso aos computadores adquiridos para serem usados durante a pandemia, depois do retorno às aulas presenciais.

Veneziano assumiu um compromisso com o diálogo e com a valorização das/os professores, e essa, segundo ele, será uma “prioridade irrenunciável”.

Veneziano colocou o dedo na ferida

As críticas de Veneziano Vital tocam em um ponto central para o eleitor avaliar o desempenho do atual governo: a absoluta ausência de planejamento, que explica o improviso nas ações e a lentidão decorrente.

Vejam bem, já estamos em maio do último ano do mandato de quatro anos de João Azevedo no Governo da Paraíba. Promessa de campanha, os professores continuam sem a reestruturação do Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério. Promessas não faltaram, entretanto. Em agosto do ano passado, dois anos e meio depois do início do atual governo, ocorreu a primeira – isso mesmo, a primeira – reunião entre o governo e a diretoria do Sintep-PB (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba), com as presenças de João Azevêdo e do secretário de Educação, Cláudio Furtado – na agenda de João Azevedo, entretanto, não faltou espaço para para os conchavos com sua base de apoio na Assembleia.

Na reunião, João Azevedo fez o que mais sabe: promessas e contas para o próximo governo pagar, que, provavelmente, não será o dele. Segundo o Sintep-PB, João Azevedo prometeu resolver “até junho”, ou seja, depois de três anos e meio de governo, finalmente incorporar a Bolsa Desempenho e enviar a proposta do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da categoria para discussão e aprovação na Assembleia Legislativa.

Em abril, o coordenador-geral do Sintep-PB, Antônio Arruda, protestou incisivamente contra a enrolação do governo que por não cumprir os compromissos assumidos:

“Essas duas figuras são totalmente irresponsáveis por fazerem uma grande palhaçada com nós trabalhadores(as) de educação do estado da Paraíba”

A escolha da data para Antônio Arruda eviar mensagem de áudio à categoria (1º de abril) talvez não tenha sido obra do acaso. Escolhida a dedo, a data diz muito do atual governo.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: