Em Campina, alunos denunciam “constante assédio moral sofrido por professores e alunos que resolveram romper o silêncio”; professor diz que João Azevedo não fez nada pela educação

Na falta de povo, resta levar servidores à tiracolo para a plenárias do Orçamento Democrático. Os protestos de estudantes e professores contra a situação das escolas são crescentes e aconteceram também em Campina Grande. Segundo o perfil do Instragram DeOlhoNasEscolas, até assédio moral a comunidade escolar está sofrendo na região de Campina Grande: “os protestos eram principalmente pela falta de infraestrutura nas escolas, a falta de equipamentos, professores e o constante assédio moral sofrido por professores e alunos que resolveram romper o silêncio e usar o espaço do orçamento democrático para reivindicar.” 

Também em Campina, um professor não identificado usou o microfone para denunciar reforçar as denúncias sobre a situação das escolas na Paraíba, e foi enfático ao dizer que, em razão de obras mal feitas, o teto da Escola Cidadã está caindo na cabeça de alunos e professores. “Que a nossa luta seja lembrada pelo senhor, e caso seja reeleito possa realmente trabalhar pela educação desse estado, porque nesses três anos o senhor fez exatamente nada”.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: