João Azevedo transformou plenárias do Orçamento Democrático em comícios: vejam o que aconteceu em Sousa

As plenárias do Orçamento Democrático são transmitidas ao vivo pelo Youtube ao público, mas a Justiça Eleitoral bem que poderia acompanhá-las para constatar o uso eleitoreiro do que foi criado para ser um instrumento de participação popular.

O que aconteceu em Sousa durante a realização da plenária da 10ª região foi escandaloso. O prefeito da cidade, Fabio Tyrone, foi chamado para abrir e evento e fazer uma saudação aos participantes. Tyrone começou dizendo que iria guardar “essa saudação para gastá-la toda no segundo semestre ao lado de João”.

Não é preciso ser muito atento para entender que, no segundo semestre, vai acontecer a campanha eleitoral. Assim como João Azevedo, Tyrone deu vazão ao tradicionalismo patrimonialista que vê o povo como mero espectador da política.

Que festa linda! Festa da democracia, da cidadania, de um povo feliz, que vem aqui agradecer, reconhecer, o trabalho de um governo operoso de um governador trabalhador.

Notem que o povo não é mais chamado a reivindicar, a debater, a opinar, a sugerir, mas a “agradecer” e “reconhecer” o trabalho do governador. O povo não é mais tratado como sujeito, não mais toma decisões sobre o futuro de sua região pelo canal do Orçamento Democrático.

Vocês acham que Fábio Tyrone, o dono da vontade do povo de Sousa, parou por aí? O comício continuou e as sutilezas de coronel foram deixadas de lado para darem lugar a pedidos explícitos de voto:

Quero saudar ao deputado federal Wilson Santiago. Se algum desavisado me pergunta por que eu voto em Wilson, por que eu peço voto para Wilson, eu digo: porque Wilson, todos os dias, ajuda a fazer um Sousa maior, melhor.

Em todo comício, que pede voto para deputado federal pede também para deputado estadual. E Fábio Tyrone não se fez de rogado.

Quero abraçar um amigo-irmão, um deputado que nós votamos por gostar, que é daqui, que é do Macumbo, que é de Sousa! Quero saudar, abraçar, pedir o voto para Lindolfo Pires, deputado nosso!

Veja com os próprios olhos e escute com seus ouvidos esse inacreditável exemplo de desrespeito à legislação eleitoral, de desrespeito ao espaço público, a velha mistura entre o público e o privado. Tudo transmitido ao vivo no canal oficial do governo no Youtube

Se você não tivesse sido informado antes que esses discursos aconteceram em uma plenária do Orçamento Democrático, portanto, um evento de governo, regulamentado em lei e organizado com recursos públicos, na certa pensaria se tratar de um comício – aliás, de um showmício, já que bandas de forró animaram o “público” antes da festança política começar.

Mais do que crimes eleitorais, o que aconteceu em Sousa é revelador do renascimento da cultura política patrimonialista e anti-republicana que se pensava estar em desuso na Paraíba. Para não deixar dúvida, Fábio Tyrone fez questão de dizer que seu governo em Sousa “tem muitas semelhanças” e se “inspira” no governo João Azevedo. Eis uma verdade que ninguém pode questionar.

Tudo nas barbas da Justiça Eleitoral e do Tribunal de Contas da Paraíba.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: