DUPLO XEQUE-MATE: Aguinaldo Ribeiro diz não a João Azevedo e fecha as portas para o Republicanos

No final de maio, João Azevedo convidou formalmente o deputado federal Aguinaldo Ribeiro para ser candidato a senador em sua chapa de reeleição. Quando o governador resolveu fazer o convite sem ter a certeza de que seria aceito, correu o risco de ser desmoralizado com um não. Nonato Bandeira e Ronaldo Guerra – nesse caso, provavelmente com a participação também de Cícero Lucena – responderão por mais esse erro estratégico?

O governador esperou por 15 dias pela resposta de Aguinaldo Ribeiro, como sempre, inerte, escutando as balas trocadas entre membros do seu grupo político zunirem acima de sua cabeça. Na resposta anunciada pelo próprio Aguinaldo Ribeiro no final da manhã desta quarta-feira (15), o governador teve de ouvir não apenas um rotundo “não”, mas também escutar o som estridente de uma porta se fechando para um dos seus aliados mais cobiçados: além de anunciar a decisão de que não será candidato a Senador e, sim, à reeleição, Aguinaldo Ribeiro anunciou também que a pretensão do seu partido é indicar um nome para a vaga de vice-governador.

Com o não a João Azevedo, Aguinaldo Ribeiro dá um duplo xeque-mate: no governador e nas pretensões do Republicanos. Com a desistência de Aguinaldo, João Azevedo continuará padecendo sem ter um candidato a Senador para chamar de seu. Agora, com um problema adicional: não ter como acomodar o Republicanos em sua chapa, já que o partido presidido por Hugo Motta na Paraíba reivindicava a vaga de vice-governador. E já disse que não aceita indicar a vaga de Senador que resta.

João Azevedo está nu e Cícero Lucena, um dos fiadores dessa estratégia, não tem muito o que comemorar, já que uma parte do espólio de prefeitos que Aguinaldo Ribeiro seria obrigado a distribuir, iria para Messinho Lucena, filho do prefeito de João Pessoa, não vai mais. Messinho é outro que perde.

Com o fim do mistério sobre a candidatura de Aguinaldo Ribeiro, a política paraibana tem agora dois mistérios a serem resolvidos: o primeiro deles é sobre o caminho que o Republicanos vai seguir, depois que viu a porta ser fechada para suas pretensões por Aguinaldo Ribeiro, com o apoio de um governador desmoralizado e totalmente capturado pelo Progressistas.

O segundo, é sobre quem será o candidato a Senador na chapa de João Azevedo. Ou melhor, sobre quem terá coragem de enfrentar Ricardo Coutinho nas urnas?

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: