EM BANANEIRAS, só faltou João Azevedo dizer ao Republicanos: “a porta da rua é a serventia da casa”

Enquanto o caldeirão da crise na base política do João Azevedo borbulha sobre as brasas incandescentes dos ataques mútuos entre Progressistas e Republicanos, numa guerra declarada na qual a maneira mais amena de se referir ao adversário foi “traidor”, o governador esnobou novamente Hugo Motta e Adriano Galdino e, no fim de semana em Bananeiras, deu o braço a Aguinaldo Ribeiro e caiu forró – tudo bem que João Azevedo não tem a mesma desenvoltura de um Veneziano Vital como forrozeiro, mas deu pro gasto.

A atitude de João Azevedo expõe sem margem para dúvida de qual lado ele está nessa briga. Ao aparecer ao lado de Aguinaldo Ribeiro em meio aos bate-bocas públicos entre Progressistas e Republicanos, o governador só faltou dizer a Hugo Motta e Adriano Galdino, sem precisar de mensagens cifradas, que “a porta da rua é a serventia da casa”, e que, segundo a vontade dos Ribeiro, não há mais como os dois grupos conviverem no mesmo espaço.

E não há mesmo.

Só a fraqueza de um governador como João Azevedo permitiu que um partido aliado anunciasse apoio à candidatura de um oposicionista e ainda assim continuasse no governo.

Por outro lado, a decisão do Republicanos de apoiar Efraim Filho foi uma evidente reação ao peso desproporcional concedido por João Azevedo ao Progressistas nas definições da chapa, ao ponto de Aguinaldo Ribeiro escolher qual cargo seu partido indicará na futura chapa – note-se que não completou ainda uma semana o anúncio formal do apoio do Progressistas à candidatura de João Azevedo.

E nada índica que esse quadro vai mudar até as convenções partidárias e chegará o momento em que João Azevedo terá de optar entre um partido ou outro. O Republicanos vai esperar esse fatídico dia da desmoralização final chegar?

De toda maneira, no mesmo fim de semana em que João Azevedo dançava forró ao lado de Aguinaldo Ribeiro, o Republicanos continuou a reafirmar apoio à candidatura de Efraim Filho e a confrontar tanto o governador quanto o Progressistas, num cabo de guerra que só enfraquece o governador.

Veja as fotos em que Adriano Galdino e Efraim Filho postaram em suas redes sociais em resposta ao novo dono do governo.

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: