Perguntas que ajudam a responder por que João Azevedo prefere que Efraim Filho, e não Ricardo Coutinho, vença para o Senado

A política paraibana mudou muito nos últimos quatro anos. E mudou para melhor ou para pior, eis a pergunta mais importante? Vamos respondê-la fazendo uso do, digamos, método socrático. A intenção é que você encontre suas próprias respostas, mas, acredito eu, elas ficarão de tal maneira evidentes que, ao final, restarão apenas constatações e não dúvidas.

Vamos lá.

O retorno de Cícero Lucena à política pela mãos de João Azevedo representa um avanço ou um retrocesso para a política de João Pessoa?

O segundo turno na capital entre dois políticos representantes do conservadorismo neoliberal (Cícero Lucena e Nilvan Ferreira), com Ruy Carneiro (PSDB), em 3º lugar, e Walber Virgolino (Patriotas), em 4º, significou a continuidade do amadurecimento política do povo pessoense ou o contrário?

A administração de Cícero Lucena, repleta de bolsonaristas, é inovadora, transparente, comprometida minimamente com o planejamento de uma cidade que está próxima de atingir um milhão de habitantes, ou apenas repete o passado?

O rompimento de João Azevedo, uma figura inexpressiva na política paraibana até se eleger governador, com Ricardo Coutinho antes de completar um ano de governo, sua filiação ao neoliberal e direitista Cidadania diz alguma coisa sobre o verdadeiro perfil político do atual governador?

João Azevedo saiu do Cidadania por divergências políticas e ideológicas ou por que o partido faria, como fez, uma aliança com o PSDB de Pedro Cunha Lima?

Por que João Azevedo defendeu a candidatura presidencial da terceira via, alegando à época ser Lula um “extremista”?

E a aliança orgânica de João Azevedo com Aguinaldo e Daniella Ribeiro, do partido bolsonarista Progressistas, o grupo político mais reacionário da Paraíba, tem que objetivo? Ela melhorou a administração pública da Paraíba ou voltou a repetir velhas práticas que se pensava ultrapassadas?

O peso político adquirido por Aguinaldo Ribeiro em sua aliança com João Azevedo, sobretudo depois da vitória de Cícero Lucena, em João Pessoa, a ponto do atual deputado federal escolher o cargo e expulsar – repito, expulsar – o Republicanos, outro partido bolsonarista, da chapa majoritária, e indicar o sobrinho, Lucas Ribeiro para vice, nos diz mais o quê, além da provável ascensão do herdeiro dos Ribeiro ao governo do estado, em 2026, com sua provável candidatura à reeleição?

Você acha que Pollyanna Dutra foi escolhida candidata ao Senado por escolha de João Azevedo ou de Aguinaldo e Daniella Ribeiro?

Por que Efraim Filho apoiou a reeleição de João Azevedo e teve força suficiente para reivindicar a vaga de candidato a Senador na chapa do governador?

O motivo pelo qual Efraim Filho trocou João Azevedo por Pedro Cunha Lima foi diferenças ideológicas?

Por que figuras que sempre ocuparam um lugar periférico na política paraibana ganharam tanta importância política nos últimos quatro anos na Paraíba?

Agora, responda: você acha que João Azevedo prefere que vença para o Senado Efraim Filho ou Ricardo Coutinho?

Publicado por Flavio Lucio Vieira

Professor do Departamento de História da UFPB, doutor em Sociologia.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: