VENEZIANO: “Meu compromisso, diferentemente dos demais outros candidatos, é o de manter a CAGEPA sob o controle da população da Paraíba”

Ontem, o candidato a governador pela coligação MDB-PT, Veneziano Vital, dedicou o dia de ontem a compromisso em Campina Grande. Pela manhã, o candidato apoiado por Lula, presidenciável do PT com amplo favoritismo na Paraíba, participou de um reunião no STIUP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba) onde se declarou enfaticamente contrário à privatização da Cagepa.

Privatizar a Cagepa significa aumentar a conta d’água para os cidadãos consumidores e, principalmente, prejudicar aos menores municípios. E é extatamente por ter esse entendimento e por saber que a Cagepa pode, sim, ser administrada pelo Estado com competência, com transparência, com capacidade de abrir e ter acesso a financiamentos para que nós invistamos em financiamentos, é que o meu compromisso, diferentemente dos demais outros candidatos, é do de manter a Cagepa sob o controle da população da Paraíba.

Veneziano deu essa declaração em entrevista à TV Paraíba:

GOL DE PLACA: Veneziano se compromete com a volta do programa extinto por João Azevedo

Em 2021, o governo do Rio Grande do Norte apoiou o ABC e o América com 1,65 milhão, numa parceria que incluiu a aquisição de produtos esportivos dos dois clubes para divulgação de ações institucionais durante os jogos. Em 2021, o ABC, que estava na série D ao lado do América, classificou-se para a série C..

Em 2022, o governo do Rio Grande do Norte ampliou o valor do apoio para R$ 2 milhões, ampliado esse ano com incentivo à aquisição de ingressos. O América foi campeão da Série D e o ABC da Série C.

Já os clubes da Paraíba penam há quatro anos sem apoio algum do governo João Azevedo. Uma das primeiras ações do governador foi acabar com o único programa de apoio ao futebol paraibano, o Gol de Placa. Resultado: os clubes de futebol da Paraíba ficaram sem uma fonte de financiamento regular.

Em dezembro de 2018, o então governador Ricardo Coutinho assinou decreto renovando o Gol de Placa para 2919. João Azevedo cancelou o programa dois meses depois

Matéria do Portal CZN, de Cajazeiras, calcula em quase R$ 13 milhões o prejuízo dos clubes de futebol paraibanos ao longo dos últimos 4 anos com a extinção do Gol de Placa.

Em 2019, a previsão era de que os 10 clubes incluídos no Gol de Placa recebessem R$ 3.979 milhões ao todo. Já em 2020 essa estimativa caiu para R$ 2.968 milhões. Mas, nada foi pago e, nos últimos dois anos, 2021 e 2022, nem mesmo promessa de liberação dos recursos foi feita, deixando as equipes à beira da falência, algumas em falência total.

(…)

A promessa era, ainda em 2020, que os clubes maiores, campeões, receberiam mais. O Botafogo, por exemplo, deveria ter recebido alo menos R$ 923 mil por ano desde 2020. O Campinense receberia, com o novo formato do programa, cerca de R$ 467 mil, e o Treze, R$ 368 mil. Já o Atlético de Cajazeiras teria em seus cofres, por ano, R$ 238 mil.

É bom lembrar que por dois anos, os clubes ficaram também sem as receitas geradas com ingressos por conta da pandemia.

No caso do Rio Grande do Norte, o apoio aos clubes citados no início desse texto é em apoio destinado aos clubes que disputam o campeonato brasileiro. O Gol de Placa apoiava os 10 clubes que disputavam o Campeonato Paraíbano e existia desde o primeiro governo de José Maranhão.

Eis o compromisso assumido ontem pelo candidato do MDB, Veneziano Vital, com a volta do apoio aos clubes paraibanos.

VERITÁ: Pedro Cunha Lima cai de 17,3% para 15,1% e está em 4° lugar; Veneziano está em 2°, a 11,9% de João Azevedo

Nova pesquisa do Instituto Veritá divulgada nesta segunda-feira (26) mostra João Azevedo com 34,1% Veneziano e Nilvan Ferreira em 2º lugar, empatados com 22,2%. O candidato do PSDB, Pedro Cunha Lima perdeu 2% em relação à última pesquisa e está na 4ª colocação, com 15,1%.

A diferença entre João Azevedo, Veneziano e Nilvan Ferreira é de 11,9%.

AGORA É NO VOTO: TSE libera candidatura de Márcia Lucena

Saiu no blog de Tião Lucena:

O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acatou na tarde desta segunda-feira (26) o recurso impetrado pela ex-prefeita de Conde Márcia Lucena (PT) e liberou sua candidatura à Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) nas eleições deste ano.

Lucena teve o registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) sob o argumento de estar inelegível devido à condenação imposta pelo TSE por abuso de poder nas eleições de 2014. Na semana passada, porém, a Procuradoria-Geral Eleitoral deu um parecer pare mudar a decisão do TRE-PB e liberar a postulação de Márcia (clique aqui e veja a recomendação).

Na decisão desta segunda-feira, o ministro considerou a falta de fundamentos que consolidassem as denúncias de abuso de poder. “O exame de todos esses aspectos do caso específico em apreço permite constatar fundada dúvida acerca da efetiva condenação da recorrente pela prática de abuso do poder político”.

No despacho, o ministro determinou ainda que o TRE restabeleça, com urgência, o repasses de recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha para Márcia Lucena

O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acatou na tarde desta segunda-feira (26) o recurso impetrado pela ex-prefeita de Conde Márcia Lucena (PT) e liberou sua candidatura à Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) nas eleições deste ano.

Lucena teve o registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) sob o argumento de estar inelegível devido à condenação imposta pelo TSE por abuso de poder nas eleições de 2014. Na semana passada, porém, a Procuradoria-Geral Eleitoral deu um parecer pare mudar a decisão do TRE-PB e liberar a postulação de Márcia (clique aqui e veja a recomendação).

Na decisão desta segunda-feira, o ministro considerou a falta de fundamentos que consolidassem as denúncias de abuso de poder. “O exame de todos esses aspectos do caso específico em apreço permite constatar fundada dúvida acerca da efetiva condenação da recorrente pela prática de abuso do poder político”.

No despacho, o ministro determinou ainda que o TRE restabeleça, com urgência, o repasses de recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha para Márcia Lucena

Perguntas que ajudam a responder por que João Azevedo prefere que Efraim Filho, e não Ricardo Coutinho, vença para o Senado

A política paraibana mudou muito nos últimos quatro anos. E mudou para melhor ou para pior, eis a pergunta mais importante? Vamos respondê-la fazendo uso do, digamos, método socrático. A intenção é que você encontre suas próprias respostas, mas, acredito eu, elas ficarão de tal maneira evidentes que, ao final, restarão apenas constatações e não dúvidas.

Vamos lá.

O retorno de Cícero Lucena à política pela mãos de João Azevedo representa um avanço ou um retrocesso para a política de João Pessoa?

O segundo turno na capital entre dois políticos representantes do conservadorismo neoliberal (Cícero Lucena e Nilvan Ferreira), com Ruy Carneiro (PSDB), em 3º lugar, e Walber Virgolino (Patriotas), em 4º, significou a continuidade do amadurecimento política do povo pessoense ou o contrário?

A administração de Cícero Lucena, repleta de bolsonaristas, é inovadora, transparente, comprometida minimamente com o planejamento de uma cidade que está próxima de atingir um milhão de habitantes, ou apenas repete o passado?

O rompimento de João Azevedo, uma figura inexpressiva na política paraibana até se eleger governador, com Ricardo Coutinho antes de completar um ano de governo, sua filiação ao neoliberal e direitista Cidadania diz alguma coisa sobre o verdadeiro perfil político do atual governador?

João Azevedo saiu do Cidadania por divergências políticas e ideológicas ou por que o partido faria, como fez, uma aliança com o PSDB de Pedro Cunha Lima?

Por que João Azevedo defendeu a candidatura presidencial da terceira via, alegando à época ser Lula um “extremista”?

E a aliança orgânica de João Azevedo com Aguinaldo e Daniella Ribeiro, do partido bolsonarista Progressistas, o grupo político mais reacionário da Paraíba, tem que objetivo? Ela melhorou a administração pública da Paraíba ou voltou a repetir velhas práticas que se pensava ultrapassadas?

O peso político adquirido por Aguinaldo Ribeiro em sua aliança com João Azevedo, sobretudo depois da vitória de Cícero Lucena, em João Pessoa, a ponto do atual deputado federal escolher o cargo e expulsar – repito, expulsar – o Republicanos, outro partido bolsonarista, da chapa majoritária, e indicar o sobrinho, Lucas Ribeiro para vice, nos diz mais o quê, além da provável ascensão do herdeiro dos Ribeiro ao governo do estado, em 2026, com sua provável candidatura à reeleição?

Você acha que Pollyanna Dutra foi escolhida candidata ao Senado por escolha de João Azevedo ou de Aguinaldo e Daniella Ribeiro?

Por que Efraim Filho apoiou a reeleição de João Azevedo e teve força suficiente para reivindicar a vaga de candidato a Senador na chapa do governador?

O motivo pelo qual Efraim Filho trocou João Azevedo por Pedro Cunha Lima foi diferenças ideológicas?

Por que figuras que sempre ocuparam um lugar periférico na política paraibana ganharam tanta importância política nos últimos quatro anos na Paraíba?

Agora, responda: você acha que João Azevedo prefere que vença para o Senado Efraim Filho ou Ricardo Coutinho?

CRESCIMENTO DE VENEZIANO ASSUSTA JOÃO AZEVEDO e “torcida” agora é por Pedro Cunha Lima no segundo turno

Em abril, quando o que havia de mais escasso na Paraíba eram pesquisas eleitorais, eu publiquei aqui no blog um texto intitulado Por que João Azevedo prefere enfrentar Pedro Cunha Lima e não Veneziano no segundo turno. Lembrei desse texto nessa reta final do primeiro turno quando é cada vez mais evidente a estratégia governista de tentar, a todo custo, inflar a candidatura de Pedro Cunha Lima.

Aliás, já tentaram com Nilvan, e não deu muito certo. Pedro Cunha Lima vinha claramente perdendo forças e recebeu uns choques diretos no coração com a divulgação da última pesquisa Ipec para ser ‘ressuscitada”. 

Por que tudo isso? Porque Veneziano sempre foi o grande fantasma de João Azevedo. Mesmo antes de anunciar sua candidatura a governador, Veneziano Vital foi atacado por especulações diárias da imprensa.gov que, primeiro, colocaram em dúvida sua disposição de concorrer ao governo; desmentida pelos fatos, passaram a especular sobre a desistência de Veneziano por conta da falta de apoios: que não teria apoios de prefeitos, que Lula subiria em dois palanques, que não viria à Paraíba para apoiá-lo. Os fatos voltaram a desmenti-los. Veneziano não só continuou candidato como sua campanha reúne multidões por onde passa.

Araruna, ontem à noite.
São Sebastião de Umbuzeiro

Agora, a artilharia organizada se volta contra  Ricardo Coutinho, uma das colunas em que se assenta a força da candidatura de Veneziano. Para evitar a vitória de Ricardo e uma campanha de segundo turno com o Mago tendo readquirido o antigo prestígio político e com a forca eleitoral renovada, a campanha de João Azevedo passou a apostar na vitória do bolsonarista Efraim Filho lançando dúvidas desonestas sobre a elegibilidade do ex-governador. É desespero na veia.

João Azevedo sabe que segundo turno é outra eleição, por isso agora torce para enfrentar Pedro Cunha Lima com o objetivo de ressuscitar o cassismo, trazendo de volta para o centro do debate o ex-governador Cássio. Com o cassismo no segundo turno, João Azevedo tentará tirar do foco da eleição o debate sobre o que foi o seu governo medíocre.

Caso o candidato seja Veneziano, a situação mudará por completo. Com o apoio de Lula, restaria a João Azevedo buscar apoio entre os eleitores de Jair Bolsonaro, o que ele, aliás, já vem fazendo há algumas semanas. E com Veneziano na disputa, o debate principal do segundo turno passaria a ter um caráter plebiscitário: manter ou não João Azevedo no governo, e a confrontação entre presente e futuro se imporá. E qual seria a tendência da maior parte do eleitor de oposição em um segundo turno?

É preciso responder?

APOIO: Veneziano interrompe agenda e vai a Areia agradecer gesto de Dra. Silvia e Elsinho Cunha Lima

O candidato ao governo da Paraíba, Veneziano Vital, da coligação MDB-PT-PV-PCdoB, foi a Areia hoje pela manhã para agradecer pessoalmente a declaração de voto e apoio da atual prefeita, Dra. Silvia, e do ex-prefeito Elsinho Cunha Lima.

Uma retribuição à altura do gesto político desas duas grandes lideranças de Areia, sobretudo no momento decisivo da campanha, quando estamos a uma semana da eleição.

O anúncio do apoio do grupo político de Dra. Silvia e de Elsinho Cunha Lima repercutiu de maneira positiva por todo a região do Brejo paraíbano, que concentra um percentual expressivo do eleitorado paraíbano do interior.

Eis o que disse Veneziano:

“Dediquei a manhã deste domingo em Campina Grande para vir agradecer, agora pessoalmente, a enorme demonstração de carinho em forma de apoio externado ontem, enquanto estávamos em Caravana por oito cidades do sertão, da minha prefeita Dra. Silvia e do meu amigo ex-prefeito Elsinho, de Areia, junto com a vice-prefeita Dona Marília e toda a bancada na Câmara Municipal”.

Assista ao vídeo:

Veneziano encerra caravana pelo alto-sertão com multidão ocupando as ruas de Sousa

A Caravana “A Paraiba tem pressa de ser feliz” se encerrou em Sousa, com mais uma multidão nas ruas. Depois de começar pela pela cidade de Bom Sucesso a caravana percorreu várias cidades e passou por Brejo dos Santos, Catolé do Rocha, Brejo do Cruz, Belém do Brejo do Cruz, São Bento, Paulista e Pombal.

Em Sousa, Veneziano participou de uma grande manifestação ao lado de André Folia, candidato a Deputado Estadual.

Não tem margem de erro que consiga esconder o crescimento de Veneziano na reta final e a surra de votos que Ricardo dará nas candidaturas bolsonaristas.

POVO DE UIRAÚNA VAI ÀS RUAS: “É uma demonstração que Uiraúna está com o Time do Povo”, diz Jeová Campos


Lideranças políticas, de movimentos sociais, sindicais e militantes foram às ruas de Uiraúna sábado para participar de uma carreata em apoio à candidatura do ex-presidente Lula. A concentração teve início às 16h, próximo ao Posto Zarur na Rua Francisco Leão Veloso em Uiraúna. Depois, todos saíram pelas ruas da cidade, numa carreata que atraiu uma multidão.

Com camisas vermelhas, bandeiras, fotos, adesivos e cartazes, o povo de Uiraúna e região mostrou que deseja a volta de Lula (PT) no comando do Brasil. 

Uiraúna é a terra natal de Luiza Erundina de Sousa, fundadora do PT, hoje filiada ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e atualmente deputada federal pelo estado de São Paulo. Ganhou notoriedade nacional quando foi eleita a primeira prefeita de São Paulo e representando um partido de esquerda, o Partido dos Trabalhadores (PT), em 1988.  

Presentes à carreata o deputado estadual e primeiro suplente do candidato a senador Ricardo Coutinho (PT), Jeová Campos (PT), deputado federal, Wilson Santiago, professor doutor em Ciências Jurídicas y Sociales pela Universidad del Museo Social Argentino – UMSA e Presidente do Partido dos Trabalhadores de Cajazeiras, Cleanto Beltrão de Farias, ex-candidato a prefeito de Cajazeiras, Marquinhos Campos, o professor universitário, Joaquim Alves Farias, o Mestre Kim Alves,  diretora sindical do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (SINTEP), coordenadora do Centro de Defesa das Mulheres em Cajazeiras, militante histórica do Partido dos Trabalhadores, ativista política e professora, Laurecy Penaforte Vieira, ex-metalúrgico, Gilson Penaforte, ativista político Daciano Penaforte, comerciante e militante petista Francisco Moreira  e vários apoiadores do ex-presidente Lula.

“Estivemos em uma carreata em Uiraúna com várias pessoas e não houve um incidente sequer, numa demonstração de que o povo uiraunense não só é democrático como gosta de manifestações democráticas. Muita emoção poder ver o povo uiraunense na porta de casa aplaudindo a nossa carreata passar. É uma demonstração que Uiraúna está com o Time do Povo, vota 13”, afirmou o deputado estadual e primeiro suplente do candidato a senador Ricardo Coutinho (PT), Jeová Campos (PT). 

Abdias Duque de Abrantes
Jornalista MTB-PB Nº 604


 



 

 

TERREM0TO POLÍTICO NO BREJO: Dra. Silvia, prefeita de Areia, e Elsinho Cunha Lima declaram apoio a Veneziano

O candidato ao governo da Paraíba pela coligação MDB-PT-PV-PCDOB foi obrigado a interromper por alguns minutos em Pombal, a gigantesca caravana por cidade do Sertão em apoio à sua candidatura ao governo e a de Ricardo Coutinho ao Senado, para gravar um vídeo com uma notícia que, mais do que qualquer pesquisa, é um indicador de que Veneziano Vital avança rapidamente para o segundo turno.

Veneziano Vital anunciou com um largo sorriso no rosto – também pudera! – que o grupo político da prefeita Dra. Silvia, da vice-prefeita Dona Marília e do ex-prefeito Elsinho Cunha Lima, de Areia, decidiram apoiar sua candidatura ao governo do estado.

“Muito feliz e agradecido pelo apoio e pela demonstração de carinho e confiança da minha prefeita Dra. Silvia, da minha vice-prefeita Marília e desta grande liderança de Areia e região, que é o meu amigo Elsinho Cunha Lima. Vamos juntos, crescendo a cada dia, rumo ao segundo turno e rumo à vitória”, afirmou Veneziano.

Areia tem mais de 20 mil habitantes e grande relevância histórica, intelectual e cultural para a Paraíba, além de ser uma das mais importantes cidades do Brejo paraibano. Não precisa dizer que o apoio do grupo político de administra a cidade terá grande impacto político e eleitoral nessa reta final de campanha.

Povo de Belém do Brejo do Cruz fecha estrada para receber Veneziano

O candidato a governador Veneziano Vital teve que descer do automóvel no qual se deslocava para chegar à cidade de Brejo do Cruz porque o povo da cidade o obrigou a parar e seguir junto com ele.

Se imagens falam mais que palavras eu escuto: Veneziano no segundo turno, Veneziano no segundo turno.

CIDADE DE 5 MIL HABITANTES: Veneziano e Ricardo arrastam multidão pelas ruas de Bom Sucesso

A campanha Veneziano governador e Ricardo senador ganha o sertão neste sábado (24), em uma Caravana, que percorrerá oito cidades.

A Caravana começou pela manhã, em Bom Sucesso, onde o prefeito Pedrinho e seu grupo político receberam Veneziano em uma grande festa. Depois, todos saíram pelas ruas da cidade, numa carreata que atraiu uma multidão, como mostram as fotos do evento.

Veneziano e o candidato a Senador Ricardo Coutinho (PT), candidatos à Câmara Federal e Assembleia Legislariva, além de prefeitos, vice-prefeitos, ex-gestores, vereadores e outras lideranças levarão a mensagem da mudança, de uma Paraiba mais dinâmica e que volte a avançar.

Além de Bom Sucesso, a Caravana deste sábado passará por Brejo dos Santos, Catolé do Rocha, Brejo do Cruz, Belém do Brejo do Cruz, São Bento, Paulista e Pombal, cidade onde ocorrerá o encerramento com um ato público.

À noite, após o encerramento da Caravana, Veneziano participará do André Folia, na cidade de Sousa, na companhia do candidato a Deputado Estadual André Gadelha. O evento será realizado a partir das 18h.

Assessoria de Imprensa
Veneziano Vital do Rêgo – MDB 15
Candidato a Governador da Paraíba
Coligação ‘A Paraíba tem pressa de ser feliz!

Prefeito de Mulungu decidiu: agora é Veneziano

O candidato a governador da Paraíba Veneziano Vital do Rêgo (MDB-15), da coligação ‘A Paraíba tem pressa de ser feliz!’, que reúne MDB, PT, PV e PCdoB, recebeu na tarde desta sexta-feira mais um importante apoio: o do prefeito Melquiades Nascimento, da cidade de Mulungu, junto com todo o seu grupo político.

O apoio foi confirmado durante encontro que ocorreu em João Pessoa, em meio à agenda de campanha de Veneziano nesta reta final da disputa no primeiro turno. Melquiades Nascimento foi eleito prefeito de Mulungu em 2020 com 50,96% dos votos válidos.

“Muito feliz com mais uma declaração de apoio e de confiança que recebemos nesta sexta-feira. Desta vez, do meu prefeito Melquiades e de todo o seu grupo político de Mulungu, ao projeto que trará mudanças significativas para a nossa Paraíba. Extremamente honrado pelo carinho. Vamos juntos!”, afirmou Veneziano, por meio de suas redes sociais.

Veja mais detalhes:

Assessoria de Imprensa
Veneziano Vital do Rêgo – MDB 15
Candidato a Governador da Paraíba
Coligação ‘A Paraíba tem pressa de ser feliz!

Deputado bolsonarista Moacir Rodrigues anuncia “voto útil” em Efraim para derrotar Ricardo, “o candidato de Lula na Paraíba”

A trama urdida pelo bolsonarismo para derrotar Ricardo Coutinho, em aliança informal com João Azevedo, como demonstraremos ainda hoje, ganhou mais um capítulo, esse definitivo por revelar a verdadeira natureza dos embates em curso na Paraíba.

O deputado estadual Moacir Rodrigues, do PL de Jair Bolsonaro, irmão do bolsonarista Romero Rodrigues, ex-prefeito de Campina Grande, anunciou “voto útil” no Senado em Efraim Filho. Os termos usados por Moacir Rodrigues não poderiam ser mais diretos: “Efraim sempre votou nos projetos do presidente Jair Bolsonaro” e, segundo ele, Efraim é o único candidato com chances de “derrotar o candidato de Lula, que se chama Ricardo Coutinho”.

Escute:

Quando questionado sobre as consultas aos aliados na Paraíba, Moacir não avançou em detalhes, mas continuou a pedir o voto útil:

Precisamos do voto útil, o momento é pregar o voto útil para derrotar o candidato de Lula ao Senado (…) O momento exige uma decisão, que é derrotar o candidato de Lula na Paraíba ao Senado, e o voto útil é Efraim Moraes.

Escute:

Além do que Moacir Rodrigues disse de maneira a não deixar dúvidas sobre quais são os verdadeiros adversários do bolsonarismo na eleição de 2022, na Paraíba (os candidatos de Lula), a fala do deputado estadual também confirma uma obviedade: que Ricardo Coutinho é candidato ao Senado e vai ser votado no dia 2 de outubro. Moacir Rodrigues deixa ainda comprovada a fake news espalhada pela campanha de Pollyana Dutra, que tenta criar confusão na cabeça do eleitor, insinuando que Ricardo Coutinho não pode ser candidato, quando sabe que isso não é verdade. O voto útil pregado por Moacir Rodrigues seria para derrotar um não-candidato?

No frigir dos ovos, como antecipei aqui essa semana, o único objetivo da candidatura de Pollyana Dutra é ajudar a derrotar Ricardo Coutinho, cumprindo assim o vergonhoso papel de quinta coluna do bolsonarismo, pois sua campanha age para tentar dividir os votos de Lula e do campo progressista na Paraíba e, assim, facilitar a vida do bolsonarista Efraim Filho.

Eis a face dos grupos que continuam a usar o nome de Lula e do PT, não para fortalecer o projeto do ex e futuro presidente, mas para preservar as migalhas de poder que João Azevedo lhes concedeu, em troca do horror político de servir ao reacionarismo dos Aguinaldos, das Daniellas, dos Cíceros Lucena, dos Efrains Filho.

O que dirão depois dessa?

IPEC SENADO VAI VIRAR PIADA: candidato do PCO tem 2%, em empate técnico com Pastor Sergio (3%); cirista André Ribeiro ZEROU

Para o Senado, o resultado serve apenas para manter viva a candidatura de Efraim Filho, já que, com a manutenção de Ricardo Coutinho no páreo, acabou qualquer chance de vitória de Pollyanna Dutra, mais ainda depois que ficou patente suas ligações com políticos bolsonaristas e com o Centrão.

Mesmo com todo o bombardeio dos adversários e da mídia governista nas últimas semanas, que objetivou lançar dúvidas sobre a candidatura de Ricardo Coutinho, só foi possível para o Ipec apontar uma queda, mais uma vez, dentro da margem de erro – a velha margem de erro.

E se você quer um exemplo do quanto a pesquisa Ipec divulgada ontem tem, no mínimo, graves erros de metodologia, é só verificar alguns resultados que beiram o ridículo: Manoel Messias, do PCO, aparece com 2%, à frente do candidato do PSOL, Alexandre Soares, que tem 1%. No caso se André Ribeiro, do PDT, ao que parece, o que bastante improvável, nem os ciristas votam na Paraíba no candidato de Ciro Gomes: Ribeiro zerou na pesquisa Ipec.

É bom lembrar que o candidato do PCO sequer tem comparecido aos debates porque não consegue liberação do condomínio onde trabalha.

SOBRE A “FLEXÍVEL” MARGEM DE ERRO DO IPEC, EX-IBOPE: a rigor, João Azevedo não cresceu;  Veneziano e Pedro estão empatados

O Ipec, para quem não sabe, é o antigo IBOPE. A empresa foi vendida e ex-diretores resolveram criar um novo Instituto.

Bem, quem acompanha eleição na Paraíba sabe o histórico de erros na Paraíba – alguns até constrangedores, como errar resultado de pesquisa de boca de urna, onde quase 100% dos votos estão absolutamente cristalizados: em 2010, o Ibope apontou empate numérico entre Ricardo Coutinho (sempre contra Ricardo, lembram?) e José Maranhão, candidato à reeleição. Segundo o Poder360, em 2020, o Ibope errou em 15 de 26 cidades.

Nem por conta disso, o Ibope deixou de fazer novas pesquisas na Paraíba. O Ibope continuou a ganhar dinheiro do Sistema Paraíba, continuou a cometer seus erros, mas, em compensação, o eleitor deixou de dar bola para pesquisa e passou a votar de acordo com a sua consciência. O que podemos chamar de pedagogia política Ibope.

Não se trata aqui de reclamar de resultado de pesquisa, mas de levantar dúvidas sobre os resultados apontados pela pesquisa Ipec divulgada ontem que justifiquem os resultados.

O IBOPE E SUA “MARGEM DE ERRO”

Para quem não sabe, toda estatística tem uma margem de erro, que indica possíveis variações nos números encontrados, caso existisse uma maneira de comparar com a realidade. Um candidato que tem 10% numa determinada pesquisa pode ter, na verdade, 7 ou 13%. Uma diferença imensa, de um terço a mais ou a menso de votos, não é mesmo?

Na pesquisa divulgada ontem com exclusividade pelo Sistema Paraíba, ocorreram mudanças significativas que, para mim, são injustificadas. Para o governo, qual fato político, com repercussões eleitorais, ocorreu nos últimos 5 dias que pode justificar o crescimento de Pedro Cunha Lima e a interrupção do de Veneziano, quando todas as outras pesquisa divulgadas nas últimas duas semanas indicaram crescimento das intenções de votos em Veneziano? A rigor, considerando a flexível “margem de erro” de 3% do Ipec, Veneziano não caiu e está empatado com Pedro em 17%. O “crescimento” de João Azevedo também foi dentro da margem de erro, de 32 para 35%.

A questão que eu levanto é a seguinte: Veneziano é o candidato a governador com mais potencial de crescimento na Paraíba por conta do apoio de Lula, como tem acontecido em quase todo o Nordeste – no Ceará, por exemplo, o candidato do PT, Elmano, que foi lançado um pouco antes do período de convenções, ultrapassou o candidato a governador de Ciro Gomes, Roberto Cláudio, e, hoje, já aparece em empate técnico com o bolsonarista Capitão Wagner. O que explica ascensão tão rápida que não o apoio de Lula, que vence no Ceará por larga margem?

Não só isso. Veneziano é o único candidato que, sem máquina alguma (João Azevedo tem o governo estadual, a prefeitura de João Pessoa, a maioria dos prefeitos, e Pedro tem Campina Grande), mobiliza o eleitorado nas ruas, fazendo grandes manifestações, e recebe adesões diárias de lideranças municipais.

E Pedro Cunha Lima, um dos candidatos que João Azevedo sonha enfrentar no segundo turno ao lado de Nilvan Ferreira, o que criou de fato político nesses últimos dias? A visita de Simone Tebet? A visita de Ciro Gomes?

Não, senhores e senhoras do Ipec, é difícil engolir o resultado da pesquisa divulgada ontem para o governo.

A pesquisa para o Senado é outra pérola da flexibilidade e do evidente erro da metodologia do Ipec, ex-Ibope.

Juíza eleitoral indefere pedido de Pollyanna Dutra para suspender divulgação de vídeo que critica suas ligações com o bolsonarismo na Paraíba

A juíza eleitoral Francilucy Rejane de Sousa Mota Brandão rejeitou pedido de liminar da parte da candidata ao Senado do PSB, Pollyanna Dutra, para suspender a divulgação da peça de campanha abaixo:

No vídeo, como se vê, as contradições da candidata apoiada pela família Ribeiro — afinal, é apoiada ou não? —Pollyanna Dutra, são apontadas: “Na frente do povo, Pollyanna diz uma coisa, mas por trás, faz outra”, diz o vídeo. Para provar que é verdade, o vídeo aponta que Pollyanna Dutra casada com o ex-prefeito bolsonarista Francisco Dutra, o Barão” e que também é “aliada da senadora bolsonarista Daniela Ribeiro” do também irmão de irmão de Daniella, o “deputado bolsonarista, Aguinaldo Ribeiro, do PP, partido do centrão, o maior aliado de Jair Bolsonaro”.

Como bem identificou a juíza Francilucy Brandão em sua decisão, “as ordens judiciais de remoção de conteúdo divulgado na internet serão limitadas às hipóteses em que, mediante decisão fundamentada, sejam constatadas violações às regras eleitorais ou ofensas a direitos de pessoas que participam do processo eleitoral.”

Para a juíza, críticas à “pessoa também pública, não pode ser considerada ofensiva à honra ou à imagem, mesmo que negativa, em razão do direito de informação ao qual a população em geral deve ter amplo acesso”, e esse, sem dúvida, é o caso. A candidata do PSB ao Senado em sua propaganda eleitoral tenta estabelecer um vínculo inexistente com o ex-presidente Lula, mas, na Paraíba, suas alianças reais mostram que seu campo político é outro: é com influentes políticos bolsonaristas.

A juíza Francilucy também considera salutar o debate político, a confrontação de ideias e posturas: “as críticas políticas, ainda que duras e ácidas, ampliam o fluxo de informações, estimulam o debate sobre os pontos fracos dos possíveis competidores e de suas propostas e favorecem o controle social e a responsabilização dos representantes pelo resultado das ações praticadas durante o seu mandato.” Ainda para a Juíza, a Justiça Eleitoral não pode ser “moderadora permanente das críticas políticas na internet”

A fundamentação da decisão da Juíza Franciely Brandão é um libelo em defesa da livre liberdade de expressão, um dos valores mais caros à democracia moderna: “A livre manifestação do pensamento de pessoa eleitora identificada ou identificável na internet somente é passível de limitação quando ofender a honra ou a imagem de candidatas, candidatos, partidos, federações ou coligações, ou divulgar fatos sabidamente inverídicos” e, portanto, não deve haver a qualquer interferência por parte da Justiça Eleitoral “no debate democrático”, do contrário, o que teríamos era censura. “A liberdade de expressão é um dos alicerces da democracia”.

A juíza concorda que as críticas a Pollyanna Dutra não extrapolaram os limites da liberdade de expressão, porque não houve qualquer ofensa à honra ou divulgação de fatos sabidamente inverídicos. Ao contrário, são fatos de conhecimento público. A Juíza Franciely Brandão menciona matérias divulgadas na imprensa que corroboram a defesa as teses da defesa de Ricardo Coutinho, como a divulgada abaixo pelo site Paraíba Notícia:

Outras matérias lembram o apoio do PP, de Aguinaldo Ribeiro, e do PSD, de Daniella, ao governo Jair Bolsonaro; e do apoio público de Daniella à candidatura de Pollyanna. Enfim, não há nada de arbitrário na crítica feita pela campanha de Ricardo Coutinho.

Vice-prefeito de Santa Rita anuncia apoio a Veneziano

Nildo Oliveira Pontes é mais conhecido em Santa Rita pelo apelido de Carimbó. Vice-prefeito da cidade, Carimbó, que é do PSD, anunciou hoje apoio à candidatura de Veneziano Vital ao governo na Paraíba.

Com mais esse esse apoio, Veneziano se consolida cada vez mais no Litoral paraibano, onde já conta com os apoios de prefeitos de importantes cidades, como Victor Hugo, de Cabedelo, Leo Bandeira, de Lucena, Manoel Jr., de Pedras de Fogo, além do apoio de dezenas de ex-prefeitos, vereadores e grupos de oposição em todas a cidades dessa região do estado.

No colégio eleitoral mais importante da Paraíba, Veneziano conta com o apoio dos grupos políticos das duas maiores lideranças de João Pessoa, os ex-prefeitos da capital Ricardo Coutinho e Luciano Cartaxo – Ricardo é candidato ao senado e Maísa Cartaxo candidata a vice na chapa de Veneziano.

CABEDELO: Leto Viana vira estrela da campanha de João Azevedo em Cabedelo; Victor Hugo vota em Veneziano

O ex-prefeito de Cabedelo tenta voltar para a política, lançando a esposa, Jaqueline Viana, candidata à Assembleia Legislativa pelo PSB, o partido de João Azevedo.

Preso acusado de corrupção, Leto Viana virou réu na Operação Xeque Mate e condenado a seis anos de prisão. Renunciou ao cargo de prefeito de Cabedelo para evitar ser cassado pela Câmara de Vereadores no presídio, onde estava preso com outros vereadores. O ex-prefeito Leto Viana é a principal liderança política de Cabedelo a apoiar a reeleição de João Azevedo.

Com a renúncia de Leto Viana, que era vice-prefeito de Cabedelo por conta da renúncia do titular, Luceninha, eleito em 2012, o atual prefeito Victor Hugo assumiu a presidência da Câmara e, interinamente, o cargo de prefeito interino. Nessa condição, foi eleito pela Câmara para concluir o mandato. Na eleição de 2020, Victor Hugo se reelegeu prefeito de Cabedelo com 67,33% dos votos.

Victor Hugo apoia a candidatura de Veneziano Vital ao governo.

CONFIANÇA: Por que Lula apóia e pede voto para Veneziano e não para João Azevedo?

Apesar do necessário uso da razão, da análise mais precisa da conjuntura e da correlação de forças, há sempre um um traço de afetividade e confiança mútua que se revela quando dois políticos estão juntos.

Esse é o caso de Lula com Veneziano. Sempre que os dois estão juntos, é impossível não notar o carinho, a atenção que Lula dispensa a Veneziano e o interesse em elegê-lo.

Lula, por exemplo, poderia ter feito agora o que fez em 2010, quando tinha quase 90% de aprovação e tinha dois palanques na Paraíba em apoio à candidatura de Dilma Rousseff, porém, lembremos, o PT estava coligado com o PMDB. Naquela eleição, Lula preferiu não pisar na Paraíba

Por que em 2022 foi diferente? Por que, desde o início, Lula deu tantos sinais de predileção pela candidatura de Veneziano? Por que, como ele mesmo conta, Lula ajudou a convencer o ex-prefeito de Campina Grande a lançar-se na disputa para o governo, isso mesmo com a retórica de João Azevedo, que, diferente de Veneziano, só decidiu apoiá-lo quando viu que a campanha de Lula seria avassaladora no Nordeste? Por que Lula fez tantos vídeos manifestando seu carinho por Veneziano, deu ao emedebista um lugar de destaque no lançamento de sua candidatura, chamou-o a Natal para acertar sua vinda à Paraíba e, por fim, veio à Campina Grande pessoalmente para realizar o maior ato político da campanha em apoio a Veneziano?

O que explica esse comportamento de Lula em relação a Veneziano? Lula sempre fez questão de manifestar sua admiração por políticos jovens – lembram o xodó em que se transformou o paraibano Lindbergh Farias? Aliás, os dois (Veneziano e Lindbergh) têm mais ou menos a mesma idade. Quando se elegeu prefeito da segunda maior cidade da Paraíba, há 18 anos, Veneziano tinha pouco mais de 30 anos e seus 8 anos na prefeitura corresponderam quase integralmente aos dois mandatos de Lula.

Além do mais, tem a admiração que Lula nunca escondeu por Leonel Brizola, do PDT, partido que Veneziano militou na juventude e pelo qual se elegeu vereador. Aliás, ainda hoje Veneziano não esconde a influência que Brizola teve na sua formação, o que é confirmado por sua atuação no Congresso contrária, sobretudo, às reformas que retiram direitos dos trabalhadores e contra as privatizações de estatais estratégicas para o desenvolvimento nacional. Veneziano é confiável para Lula, antes de tudo. João Azevedo já foi do Cidadania, partido da direita, e defendeu a candidatura da terceira via.

E mais uma vez, o carinho de Lula por Veneziano ficou demonstrado em mais um vídeo.

Lula começa fazendo questão de mostrar intimidade, olhando nos olhos de Veneziano, tocando no seu peito e perguntando como anda a campanha dos dois na Paraíba. Veneziano diz que a sua está em evidente crescimento. Em seguida, Lula diz que:

“precisa de Veneziano como governador, para que a gente tenha um governador aliado, um governador que me ajude a fazer as coisas que eu tenho de fazer, para a gente acabar com a miséria, a pobreza e a fome na Paraíba.”

Lula finaliza com um apelo aos seus eleitores para que elejam Veneziano:

Eu tenho certeza, que você, companheiro e companheira paraibana, que confia no Lula, que vai votar no Lula, pode votar no Veneziano porque as coisas vão acontecer na Paraíba.

Quem na conjuntura dos dias atuais, vivendo os dilemas que o povo brasileiro e paraíbano vivem, resiste a um apelo de Lula, que precisa ter governando com ele políticos confiáveis como Veneziano e Ricardo Coutinho?