EM BANANEIRAS, só faltou João Azevedo dizer ao Republicanos: “a porta da rua é a serventia da casa”

Enquanto o caldeirão da crise na base política do João Azevedo borbulha sobre as brasas incandescentes dos ataques mútuos entre Progressistas e Republicanos, numa guerra declarada na qual a maneira mais amena de se referir ao adversário foi “traidor”, o governador esnobou novamente Hugo Motta e Adriano Galdino e, no fim de semana em Bananeiras,Continuar lendo “EM BANANEIRAS, só faltou João Azevedo dizer ao Republicanos: “a porta da rua é a serventia da casa””